Buscar
  • Movimento ETUS

CRISTIANISMO E POSICINAMENTO POLÍTICO: É POSSÍVEL CONCILIAR?


Pontos de encontro entre o evangelho e a corrente de pensamento que parece não ser comum no meio cristão


Com os acontecimentos orbitando por todo o mundo, a polarização política tomou conta dos espaços públicos de forma voraz, fazendo com que as pessoas se sintam obrigadas a optar por um posicionamento, mesmo que não entendam muito bem o que ele propõe. Nos espaços de segmentos cristãos, demonstrar esse posicionamento, para além de estar de acordo ou não com os pares, é uma questão de identificação mútua.

Para entendermos o presente, temos que olhar o passado e visitar a origem desta polarização. O embate entre esquerda e direita está em andamento desde 1789 quando, na Revolução Francesa, os membros da Assembleia Nacional sentavam à direita do Presidente, se fossem condizentes com as doutrinas do Rei, ou à esquerda, se fossem afeitos à revolução. Isso quer dizer que, desde o século XVIII, é comum adotar uma posição frente ao cenário político da época; foi assim na França e passou a ser em todos os países, inclusive no Brasil.

Para muitas pessoas, entretanto, essa é uma situação que causa espanto, porque assumir um posicionamento pode soar com um tom de rebeldia, dentro de um conjunto que pensa diferente. É o caso dos cristãos, cuja maior parte, fazendo uma comparação com a Assembleia Francesa, está sentada à direita e os que sentam à esquerda se sentem estranhos ou incorretos.


AFINAL, JESUS ERA DE ESQUERDA ?

Nesse cenário, precisamos buscar respostas no que consideramos a fonte de todo entendimento possível: o próprio Jesus. O escritor norte-americano Reza Aslan, em seu livro “Zelota: a Vida e a Época de Jesus de Nazaré”, elucida uma figura revolucionária e à frente do seu tempo, ao professar sermões muitas vezes distorcidos por más interpretações. Aslan afirma que Jesus tinha como objetivo, além de ensinar o amor, revolucionar politicamente a conjuntura em que viveu. “O fato é que o Jesus da história não era um simples pacifista que pregava a palavra de Deus, mas um líder revolucionário que desafiou o Estado, não apenas ‘pregou’ para ele – e é por isso que o Estado quis a sua morte”, comentou o escritor em entrevista à revista Galileu. (PODE SER UM HIPERLINK - https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/Comportamento/noticia/2014/02/o-jesus-como-figura-humana-e-mais-acessivel-do-que-sua-versao-divina.html)

Na mesma entrevista, Aslan reafirma o que muitos outros historiadores também já fizeram, o caráter subversivo de Cristo que muito se assemelha aos pensamentos de matizes socialistas de esquerda. “(...) (Jesus) formou um movimento forte pelos pobres, doentes e marginalizados. Um movimento tão ameaçador aos religiosos e políticos do período que fez com que ele fosse procurado, preso, torturado e executado por crimes de sedição (organização de rebeliões, incitamento das massas), o único crime pelo qual alguém poderia ser crucificado sob a lei romana”, explica.

Sob esse prisma, não seria correto pensar que os pensamentos com princípios de esquerda sejam totalmente aversos ao evangelho, uma vez que o próprio Jesus, razão pela qual o evangelho existe, não deixou dúvidas acerca de seus posicionamentos e comportamentos pautados numa liderança expressiva e revolucionária, na defesa da justiça social para os mais pobres e marginalizados.


ESCLARECENDO PELA HISTÓRIA

Pastor, sindicalista e político escocês, James Keir Hadie, importante figura do século XIX, na Europa, foi um forte disseminador do socialismo àquela época. Impulsionado por suas próprias experiências adquiridas com o trabalho precoce, Keir Hadie ajudou a criar um sindicato na mina onde trabalhava e organizou a primeira greve dos mineiros de Lanarkshire, em 1880. Desde então, a causa trabalhista foi o seu pilar de vida e pautou suas lutas, inclusive, no Parlamento.

Keir Hadie foi membro da União Evangélica, que posteriormente passou a chamar-se Igreja Reformada Unida, e participou do movimento da Temperança, que era contra bebidas alcoólicas. O dom nato da pregação fez com que Keir Hadie falasse à grandes multidões, sendo inclusive considerado um líder daquele segmento.

O legado deixado pelo pastor Keir Hadie passa por sua dedicação ao movimento trabalhista e, posteriormente, pelo resultado deste movimento com efetivação nos Parlamentos, é o caso da participação na criação do Partido Trabalhista Escocês e do Partido Trabalhista, na Inglaterra. Além disso, Keir Hadie foi um grande entusiasta da participação feminina nas votações, causa pela qual chegou a ser preso, em Londres.


POR OUTRO LADO...

Conhecido como o mais influente pregador dos EUA, Billy Graham, nasceu em 1918, na Carolina do Norte e, desde criança, foi levado para a Associação das Igrejas Presbiterianas Reformadas, tendo assim o seu primeiro contato com o ofício pastoral, que viria a exercer pelo resto da vida. Aos 21 anos, foi ordenado pastor da Igreja Batista Sulista. Posteriormente, foi pastor da Western Springs Baptist Church, sua própria congregação.

Billy Graham ficou muito conhecido por organizar cruzadas em estádios e reunir mais 200 milhões de pessoas, por mais de 185 países, além de superar a audiência de 2 bilhões de pessoas, em seus programas de rádio e televisão. Pelo grande sucesso na pregação da evangelho para grandes multidões, o pastor Graham ganhou espaço no cenário político americano por ser conselheiro espiritual de vários presidentes do país.

Billy Graham, devido ao seu alto nível de influência entre o segmento cristão norte-americano, foi peça chave nas eleições dos presidentes Nixon, em 1964, e Bush, em 1989, ambos do Partido Republicano. Com princípios ideológicos aliados à direita, os presidentes encontram no pastor Graham um mentor e condutor de suas ideias que ressoariam por todo o país.

RESPEITO E BOM SENSO: A CHAVE CERTA

O embate entre correntes de pensamentos diferentes se chocam em todas as épocas, contanto que exista alguém para defendê-las e lutar para que elas não percam força. A problemática, entretanto, não reside neste embate que é considerado até salutar, por alguns. Mas, sim na intolerância com a qual os pensamentos divergentes são tratados, nas mais diversas organizações.

Keir Hadie e Billy Graham não são, necessariamente, distintos em seus pensamentos ideológicos, apesar de terem apresentado visões divergentes no decorrer de suas vidas. Numa visão colaborativa, os pensamentos de ambos se confluem, de forma que não seja preciso excluir, mas agregar para uma matriz comum.

Não é errado, portanto, que uma pessoa de orientação cristã opte por uma corrente A ou B com a qual se sinta afim, por outro lado, também não é certo que esta opção seja de caráter excludente com relação ao outro. O bom senso é, antes de tudo, a chave para o respeito.


https://en.wikipedia.org/wiki/Keir_Hardie#Independent_Labour_Party

https://www.christianitytoday.com/ct/2019/november-web-only/spiritual-socialists-vaneesa-cook.html

https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/Comportamento/noticia/2014/02/o-jesus-como-figura-humana-e-mais-acessivel-do-que-sua-versao-divina.html


12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo